O primeiro teste do GTS Pointer 1.8

Em setembro de 1984, a exatos 33 anos, a revista Quatro Rodas apresentava aos leitores a grande novidade da linha Passat naquele ano: o Passat GTS Pointer 1.8. Uma das primeiras observações da matéria do jornalista Cláudio Carsughi era que desde a unificação do motor 1.6 para todas as versões, o único ponto de exclusividade do Passat TS (e depois o GTS e GTS Pointer) resumia-se a um console. Desde o lançamento do Passat TS, o motor 1.6 com carburador de corpo duplo sempre foi um grande diferencial dessa versão (e posteriormente do LSE) diante das versões mais familiares, com motor 1.5 e carburador de corpo simples. De fato, apesar de haver mais algumas diferenças de acabamento, usar o mesmo motor das demais versões não ajudava muito a uma versão esportiva. Enfim, a partir de junho de 1984 a Volkswagen começava a montar o GTS Pointer com o mesmo motor do Santana.

Passat GTS Pointer 1.8

O teste destacou o desempenho notavelmente superior aos modelos 1.6. “Não há necessidade de cronômetro para aferir o melhor desempenho deste GTS com motor 1.8”, diz o texto em determinado momento. O exemplar testado, à álcool, alcançou 162,896 km/h na pista de testes, com melhor passagem a 165,899 km/h. A aceleração de 0 a 100 km/h foi realizada em 13,39 segundos. O consumo registrado na cidade foi de 7,41 km/l e de 10,79 km/l na estrada (vazio). Outro ponto que mereceu destaque durante o teste foi o câmbio de 4 marchas. Apesar de não prever uma alteração de desempenho, o câmbio de 5 marchas poderia conferir maior economia.

Para efeito de comparação, o teste do Passat GTS com o motor 1.6 MD-270 em maio de 1983 o considerou um falso esportivo. Sua velocidade máxima registrada na ocasião foi de 154,175 km/h na média de 4 passagens, com a melhor marca de 156,522 km/h. A aceleração de 0 a 100 km/h foi de 15,06 segundos.

Passat GTS Pointer 1.8

É interessante notar também, pra quem não está acostumado com os Passat dessa época, que o motor 1.8 já apresentava as características externas do motor AP, como a entrada de água no cabeçote entre o 3º e 4º cilindros. Apesar disso e das diversas semelhanças internas, essa denominação ainda não era utilizada. Isso aconteceu a partir de junho de 1985 na linha Passat. Nesta época o motor recebeu modificações como a árvore de manivelas e bielas mais longas.

Passat GTS Pointer 1.8

Foi também no modelo 1.8 que as novas rodas de liga leve de 14″ foram introduzidas. Os pneus usados eram os 185/60. A matéria cita inclusive o fator segurança, já que elas eram testadas uma a uma em equipamentos de raio X. Os bancos Recaro, com regulagem de altura, foram considerados confortáveis e anatômicos. Segundo a Quatro Rodas, os bancos “permitem encontrar a posição ideal, tanto para dirigir na cidade como para uma longa viagem”. Em resumo, como era natural dos testes da Quatro Rodas, o Passat GTS Pointer 1.8 foi considerado um esportivo confortável, seguro, com desempenho à altura e consumo compatível com sua proposta.

Grigorevski

Fundador da Home-Page do Passat e presidente do Passat Clube - RJ.

Deixe uma resposta