Protótipo 1974

prototipo01Essas fotos começaram a circular rapidamente pelos grupos de Whatsapp, infelizmente sem créditos (se você é o autor das fotos, avise, que eu colocarei os devidos créditos). Um estranhíssimo Passat pick-up com cabine dupla, lanternas, faróis e para-choques dos modelos pós-85, na cor Vermelho Fênix. Não é o primeiro Passat cabine dupla que aparece por aí… E eu tenho a impressão que já vi foto desse carro há alguns anos, em melhor estado do que agora.

prototipo02Com o uso popular do Sinesp, logo verificaram que o documento trata o carro como “MON/Protótipo 1974”, da cidade de Joaçaba (SC), e certamente algumas pessoas se empolgaram pensando ser um protótipo da VW perdido por aí e que foi modernizado. Mas vamos lembrar que um “protótipo” para o Detran é simplesmente um carro que foi feito artesanalmente, ou mesmo a partir de um veículo em que foi dado baixa. Não se empolguem, não é nenhum projeto abandonado pela VW…

Quem não tem cão…

tampasw01Não é segredo e nem mistério pra nenhum admirador de Passat, que a VW preferiu produzir a Variant II por aqui (que nos deixou as suas rodas 14″ como legado, dirão alguns) no lugar de produzir a Passat Variant, que provavelmente seria uma concorrente mais forte frente a Belina, principalmente. Então, na falta de uma legítima Passat Variant comercializada no Brasil, algumas empresas se encarregaram de transformar o Passat nacional em uma perua, para quem fizesse questão disso e tivesse dinheiro pra bancar uma transformação deste porte. As transformações realizadas pela Dacon e pela Sorana foram as mais famosas, porém o número de unidades transformadas é desconhecido e certamente bem reduzido.

tampasw03Um jeito mais simples, rápido e barato de ter a sua própria Passat Variant no Brasil também foi comecializado pela Dacon. No lugar de cortar toda a parte traseira de um Passat, o que envolveria também a pintura completa do carro, bastava usar um Passat 3 portas e trocar sua tampa traseira por outra, devidamente confeccionada para dar um espaço maior no compartimento de bagagem e uma aparência que lembrava a de uma perua, já devidamente pintada na mesma cor do carro. A troca da peça era simples e levava pouco tempo. O custo era obviamente bem menor, porém o resultado estético era um tanto controverso. Talvez por esse motivo, o uso desta tampa também não obteve sucesso e atualmente é uma solução menos conhecida do que as transformações citadas no início deste post.

tampasw02Uma destas raras sobreviventes ilustra este post e foi flagrada na cidade de Itatiba – SP, pelo Rafael Finardi, dono do Impala 1960 mais bonito que eu já vi. Segundo o Rafael, o carro pertence a um pedreiro e como podemos notar provavelmente é utilizado no trabalho, o que não deixa de ser interessante pois é um carro que continua contando sua história até hoje pelas ruas. Feio? Bonito? Alguém faria atualmente isso em um Passat? Tanto faz… O mais importante é ter o registro de um quase extinto acessório.

Surf na rua

O Abel Souza estava caminhando pelas ruas do Rio de Janeiro, quando avistou um Passat bege. Ele não tinha alguns detalhes, faltavam uns frisos, tinha um retrovisor dos modelos 83 em diante do lado direito e o original do lado esquerdo… Mas parecia bem íntegro.

surfrj01 surfrj02Chegando mais perto, ele percebeu os frisos pretos, os pára-choques pretos… Olhou para o interior e confirmou sua suspeita. Estava diante de um Passat Surf! Dei uma conferida pelo site do Detran e o Passat é de 1981. Está com a documentação atualizada, o que é muito bom e demonstra um certo cuidado do proprietário. E o mais interessante é que ele realmente está cadastrado como Passat Surf, o que pelo menos aqui pras bandas fluminenses é bem raro, dado que com o passar dos anos o Detran foi cortando a versão dos documentos mais antigos e muitos são cadastrados apenas como “Passat”.

surfrj03O Passat Surf vendeu relativamente bem na sua época. Era a versão mais barata, sem alguns “luxos” como o relógio no painel. Mas tinha o principal: era um Passat. Hoje, certamente pela descaracterização dos exemplares ao longo dos anos, acaba sendo bem raro de ser encontrado. Talvez ainda existam muitos por aí, que nem os donos saibam que é um Surf pelas mudanças que sofreu. Mas pelo menos esse ainda é perfeitametne identificável. E com pouco trabalho ficaria muito original de novo.

Julia passeando…

E vejam só o que encontrei na rua outro dia… Um raro Passat Julia, passeando em Niterói. De vez em quando via esse carro pelas ruas de Niterói, mas já fazia tempo que não o encontrava. Dessa vez consegui fotografar. Este Julia está bem inteiro, apesar de alguns detalhes que mereciam atenção. Tem todo o jeito de carro de uso diário.

É bem interessante ver o contraste do estilo do carro no trânsito, entre modelos atuais e comuns.

julia01 julia02

Encontro casual

Há alguns dias publicamos aqui algumas fotos do evento “Esse vale uma foto”, onde eu tive o prazer de seguir meus amigos Abel e Bruno em seus Passat por um passeio pelo bairro carioca da Ilha do Governador. Mas quais as chances de se encontrar por acaso dois Passat do mesmo ano, cor e estado de conservação juntos, sem que os proprietários tenham combinado?

Pois o Abel foi a um shopping em seu TS e enquanto procurava uma vaga… não é que ele encontrou por lá o LS do Bruno estacionado? O Abel não pensou duas vezes, estacionou ao lado e fotografou o momento. Podem não estar exatamente na rua, mas não deixam de merecer um espaço em nossa série “Passat na rua”.

TSLSshoppingUma imagem assim, não é todo dia que se vê… Esses valem uma foto, não? E por falar nisso, as fotos do evento “Esse vale uma foto” já estão devidamente publicadas em nosso site. São 60 imagens pra vocês apreciarem.

Passat na rua: Laranja

Andar pela cidade de carro não é tão produtivo para o blog quanto andar à pé. Sem a necessidade de concentração nos comandos, pode-se pensar em outras coisas, como em alguns assuntos que poderiam ser interessantes.

Então surge um carro que se destaca no cenário preto, prata e branco: Um Passat Laranja. Basta atravessar a rua e bater fotos discretamente.

WP_000160Esse modelo, certamente fabricado após 1985, era vendido em uma cor que não estava disponível no catálogo da fábrica. Ao lado do laranja, existia uma intrigante cor amarela, um amarelo Java. Não por acaso, são as mesmas cores usadas pela frota de táxi das cidades de Curitiba e Rio de Janeiro, respectivamente.

O modelo da foto, seria um Special?

Passat SpecialWP_000161Não por acaso, há muitos anos esses carros são vistos nas ruas de Londrina. São poucos os carros que vem de Curitiba, sendo mais comum carros de São Paulo migragem para o norte do Paraná.

Assim, os únicos carros na cor laranja dos anos 1980 vistos nas ruas da cidade são os Passat de duas portas. Geralmente são vistos com molduras dos faróis com cromados, frisos largos e emblema Village. Infelizmente são itens que podem ter sido instalados por seus proprietários após alguns anos de uso, sendo plausível que sejam mesmo da versão Special.

Este abaixo foi flagrado pelo Street View.

passat laranjaExiste uma grande probabilidade de que esses carros de cor laranja nunca tenho sido utilizados como táxi. Outros modelos semelhantes são encontrados pelo interior do Paraná, em sua maioria em bom estado de conservação.

Até um tempo atrás um amigo de Cornélio Procópio, que participava do fórum, era proprietário de um Passat laranja. A foto abaixo demonstra que o carro nasceu laranja.

jataizinho2010 083

jataizinho2010 084

Na Galeria 22 do nosso site, há um modelo nessa cor, no caso um Special 1986.

Um caso curioso na história do Passat, pintado numa cor que era incomum nos carros fabricados nos anos 1980. E mais interessante é que atualmente alguns carros da marca são oferecidos num tom bem próximo desse laranja, salvo engano no CrossFox e até um tempo atrás na Saveiro Cross.

Andar à pé faz bem à saúde, à mente e ajuda a trazer algumas histórias para o Blog.

Apoio: Passat

E este post não deixa de ser um “Passat na rua”. Um belo GTS Pointer que serve todo dia como apoio para o toldo de uma loja de roupas na cidade de Manaus – AM.

A contribuição é do passateiro manauara Stenio Ricardo Ramos, dono de outro belíssimo Passat GTS Pointer.

apoio_manaus

Passat na rua: LSE Iraque

E já fazia um tempo que não havia um post da seção “Passat na rua”. Voltando do trabalho, avisto um belo Passat vermelho ao longe. E ao me aproximar… não é que o Passat é conhecido?

Acabei encontrando o meu amigo Nauberto e seu LSE Iraque, fazendo bonito em meio ao preto-e-prata do trânsito urbano… Registro feito na hora, claro! Não é todo dia que a gente encontra um Passat bonito pelas ruas…

Passat na rua: TS

As fotos são um achado do Heitor Nunes, num encontro do Escort Clube.

“Passat Ts 1976, No encontro do Escort Clube! Hahaha

Acho que vou sugerir mudar o nome do Escort Clube para Passat Escort Home! icon_mrgreen.gif

Bom, na verdade este Ts não estava no encontro e sequer sei quem é o proprietário. Eu vi o carro chegando e fui correndo tirar fotos…

O carro está lindo. Pintura boa as faixas são adesivas e não pintadas. De não original, tirando os acessórios, são os bancos. O resto tudo ok.

Fotos:

Só tirei essas fotos porque o dono a essa altura já estava voltando….. ninja.gif

O modelo realmente é um TS e também confere o ano 1976, como o Heitor constatou. Os indícios são o console correto para o ano e os frisos largos das janelas, detalhes que permaneceram na linha Passat até 1976.

Um detalhe na pintura de guerra do carro é a ausência da pintura preta da caixa de ar, saia dianteira e traseira inferiores. Ingo Dittmar já observou uma vez que após uma reforma ou restauração dificilmente o proprietário faz essa pintura, seja por gosto, seja por desconhecimento.

Por onde anda?

Passat na rua: Plus

Belo flagra do meu amigo Matheus Marques, do excelente blog Registros Automotivos do Cotidiano, quando ia visitar o encontro de antigos no Forte de Copacabana, no início do mês. Cheguei a ver este carro bem de longe e rapidamente quando passei pela praia indo ao mesmo encontro, mas não consegui reparar nenhum detalhe.

Inicialmente ele me enviou a foto pela curiosidade do colchão no teto. Seria um sistema de amortecimento em caso de capotagem? Um local pra se espreguiçar durante o feriadão de 7 de setembro, já que a praia estava lotada? Mas ampliando a imagem, percebi logo se tratar de um raro Passat Plus 1984, com seu friso vermelho ao redor dos vidros laterais e as faixas pretas no lugar dos borrachões laterais.

Restaurável?

Passat (Julia) na rua

Ok, não é na rua. Mas está valendo… Velho flagra que fiz, em algum momento de 2010,  no estacionamento de uma loja em Niterói. São raros, muito raros, os Passat Julia que sobreviveram. A maioria, talvez até por conta de sua produção ter sido feita no Rio de Janeiro, são encontrados no região do Grande Rio.

Este aparentava ótima conservação, sendo um dos melhores que já vi pessoalmente.

Maiores informações sobre o Passat Julia podem ser encontradas na Home-Page do Passat.

Passat TS… Pick-up diesel.

 

No mundo do Passat, nem tudo são flores!

Meio Passat, meio Pampa. A mistura não é das mais harmoniosas, e quando é feita em cima de um clássico como o TS, dá calafrios em quem preserva com dificuldade um Passat.

Eu havia visto esse carro circulando na famosa Avenida Brasil, Rio de Janeiro, creio que em 2003 ou 2004… Na época, tinha apenas uma cor, que parecia muito com a Cinza Grafite Metálico do 4M. Isso me fez pensar na hora ser um 4M transformado. Também não me lembro destes pára-choques tubulares. Anotei a placa, não tinha câmera em mãos (e os celulares com câmera naquela época não eram comuns). Depois, através do Detran-RJ, descobri tratar-se de um legítimo TS 1977… e com motor a diesel!

Nunca mais vi ou tive notícias da pick-up. Até que hoje meu amigo Matheus Marques, do excelente blog Registros Automotivos do Cotidiano, publicou estas fotos.

Bonito? Uma maldade? Não sabemos o estado do carro na época da transformação. Quem sabe não foi salvo de parar no desmanche?

O que acham?

PS: querem ver mais fotos? Visitem aqui o post original do Registros Automotivos do Coridiano!

O aerofólio ligeiro

Fonte: http://fabriciostadler.blogspot.com.br/2010/09/passat-ts.html

Novidade na linha 1983 no modelo GTS, o aerofólio foi um item que pouco durou em linha.

Ao chegar nas concessionárias os revendedores e consumidores não aprovaram o acessório, que rapidamente saiu de catálogo.

Outro Volkswagen que oferecia esse acessório era o Voyage, disponível também na versão de exportação.

Como pode-se ver na imagem de um Passat LS Village encontrado na rua e em plena atividade, o acessório facilitava a corrosão da tampa traseira. É certo que o acessório (não original) deve ter sido instalado em concessionária ou posteriormente pelo seu proprietário, o que colabora com o resultado atual.

Ainda sobre o modelo da foto, reparem nas lanternas traseiras, ainda originais e com os frisos centrais horizontais cromados, outro detalhe que estava presente apenas nos modelos 1983.