Os premiados de Águas de Lindóia

O 3º Encontro Brasileiro de Autos Antigos, ou simplesmente “o encontro de Águas de Lindóia” como já ficou mais do que caracterizado pelos visitantes, seja lá que nome receba este evento ao longo dos últimos anos, foi bastante especial para os admiradores do Passat. Foram cerca de 700 veículos participantes e, apesar de diversos exemplares na área de venda de antigos e também nos arredores do evento, apenas dois Passat estiveram na área de exposição, carregando a dura missão de representar a linha que vendeu aproximadamente 640 mil unidades ao longe de seus 14 anos de produção. E a missão foi cumprida com louvor: em um dos eventos mais importantes do Brasil, ambos foram premiados e levaram na bagagem troféus de destaque em suas categorias.

Reinaldo Rodrigues Neto recebendo o prêmio de destaque pelo seu LS 1978. Créditos da foto: portal Maxicar
Reinaldo Rodrigues Neto recebendo o prêmio de destaque pelo seu LS 1978. Créditos da foto: Portal Maxicar

Na categoria “Disco”, que englobava os veículos produzidos entre 1973 e 1981 e premiou 11 carros, o Passat LS 1978 de propriedade de Reinaldo Rodrigues Neto, sócio do Passat Clube Curitiba, levou pra casa um troféu. Já na categoria “Nova República”, que premiou quatro veículos produzidos entre 1982 e 1986, um dos premiados foi o Passat LSE “Iraque” 1986, do Bruno Lara, sócio do Passat Clube – RJ. Os dois carros apresentavam alto índice de originalidade, portando inclusive as placas pretas (item obrigatório na edição deste ano para a participação de carros entre 1980 e 1986), além de estarem impecavelmente conservados. Os troféus foram entregues por ninguém menos do que Wilson Fittipaldi Jr., lendário piloto e um dos maiores nomes do automobilismo brasileiro.

Bruno Lara recebendo o troféu de destaque pelo seu LSE "Iraque" 1986. Créditos da foto: Portal Maxicar.
Bruno Lara recebendo o troféu de destaque pelo seu LSE “Iraque” 1986. Créditos da foto: Portal Maxicar.

A Home-Page do Passat dá os parabéns aos dois proprietários e também aos clubes que eles fazem parte. Os donos de Passat foram muito bem representados em Águas de Lindóia! Aguardem em breve a nossa cobertura do evento.

Preparativos para o Nacional

df_no_nacionalEnfim, está chegando o dia… O V Encontro Nacional do Passat vem aí e no próximo final de semana a cidade de Caxambu estará recebendo algumas dezenas de Passat que já confirmaram suas inscrições no evento. E ontem eis que recebo essa foto aqui do meu amigo Cazuza, de Brasília. Ele e o irmão Nilson estavam dando um talento especial nos Passat pra cruzar a estrada e chegar ao sul de Minas Gerais em grande estilo. Cerca de 1000km aguardam os irmãos que virão com um GTS Pointer 1986 (que já esteve em Curitiba na 3ª edição do evento) e um raro LM 1975, de placa preta. Além deles, esperamos mais um ou dois Passat que virão do Planalto Central, dependendo de alguns imprevistos que estão sendo resolvidos.

Rodar essa distância pra participar de um evento de carros antigos é algo para apaixonados, sem sombra de dúvidas. Desde já desejamos uma ótima viagem ao grupo e estaremos lá pra recebê-los!

E se você ainda não fez sua inscrição, ainda dá tempo. Mas não demore, porque as inscrições vão apenas até amanhã, dia 8 de setembro. Todas as informações necessárias estão neste link.

Restauração Passat GTS Pointer 1986 #05

Hoje fui lá dar uma olhada, sexta feira tiramos o painel, caixa de ventilação e desligamos a elétrica, na lata não foi feito muita coisa pois só chega amanhã uma peça da soldadora que estava faltando, ai vão umas fotos (desculpem a qualidade, esqueci a camera):
Parte enferrujada na janela já removida:

Paralama, já começamos a tirar o emborrachamento:

Sem o Painel:

Paralama e guitarra lado do motorista, bem melhor que o outro lado:

Restauração Passat GTS Pointer 1986 #04

Pelo menos ainda quando estava lá chegaram as rodas da reforma para não ficar só na parte ruim. rolleyes.gif

Com elas pintadas da mesma cor (não sei se é preto onix, que é como o Edivaldo falou que é o certo quando eu ja tinha mandado fazer, tinha 3 pretas e 2 dessa cor, meu pai falou que as do que ele teve eram assim, então foi tongue.gif ), ficou mais dificil de ver as diferença na largura dos raios, na foto talvez não de pra notar tanto, mas dá pra ver uma diferença com elas na frente.

Restauração Passat GTS Pointer 1986 #03

Hoje fui lá ver o Passatão, o funileiro ja tinha tirado o paralama do lado direto, e está bem feio, vou ter que trocar a guitarra, não parecia assim por fora, aqui umas fotos:

Aqui parte de baixo do paralama, também com um pouco de ferrugem

Aqui o assoalho, o dono anterior meteu emborrachamento por tudo quando arrumou uma encostada na frente que mecheu na parte de dentro desse paralama, mas vai sair tudo (ainda está com o painel, mas acho que o auto elétrico vai tirar semana que vem).

Restauração Passat GTS Pointer 1986 #01

O fórum da Home Page do Passat é conhecido por ser o meio de interação mais usado para divulgar o processo de reforma e restauração dos Passat.

Muitos carros apresentados tiveram sua evolução mostrada no fórum e passo a passo os amigos do fórum ajudavam com informações, dicas ou sugestões. Essa interação com troca de ideias e informações enriquecia o processo e evitada dissabores.

Vamos acompanhar uma restauração que está sendo mostrada no fórum, para que nossos leitores tenham uma ideia do processo, sua complexidade e como certas informações são valiosas.

Quer saber como está esse carro hoje, pulando as etapas ainda não mostradas no blog? Visite e cadastre-se no nosso fórum. http://www.hpdopassat.net/forum

Este é o trabalho do nosso amigo, Guilherme Deitos, da cidade de Serafina Corrêa-RS.

“Olá amigos,
Depois de um tempo querendo restaurar um Passat Pointer finalmente consegui comprar um que tinha em vista a uns anos, pretendo deixar ele o mais parecido possivel de quando saiu da fábrica, sei que vai ser meio dificil mas se fosse facil, qual seria a graça?
Aqui vão algumas fotos dele no primeiro dia depois de ter pego:

Nessas fotos ele já estava sem o console e forros de porta, já que eu tinha começado a desmontar, depois de tirar tudo menos o painel mandei para o funileiro, que desmontou quase todo o resto para poder começar a mecher, ai pude ver mais um podre que não tinha visto, embaixo da borracha do vidro traseiro, mas mesmo tendo esse a lataria está muito boa, amanhã acho que consigo dar uma passada lá para bater umas fotos.

É isso, espero que gostem!”

Passat do Leitor #05

A história escolhida hoje é bem conhecida por mim, pois tive o prazer de acompanhar de perto boa parte dela. Além disso, pude conferir o resultado final tanto como simples admirador quanto do banco do motorista… Hoje vocês vão conhecer um Passat Special “especial’ (com o perdão do trocadilho), levemente apimentado e personalizado com bom gosto. O Special pertence ao passateiro Henrique Renke, do Rio de Janeiro, dono de uma fantástica coleção de Passat e mais alguns antigos.

E quem conta é ele mesmo.

“A história começa no início de 2005, quando fui transferido pela empresa que trabalhava no Rio de janeiro para Vitória, no Espírito Santo, e na época eu possuía apenas um Village 85 e já tinha em mente iniciar uma possível coleção. Então os meus amigos começaram a comprar outros passats e veio a vontade de ter mais um, na cidade onde eu morava no momento.

Comecei a procurar e depois de uns meses por acaso passei em frente a uma casinha que tinha um barranco ao lado e vi a traseira de um Passat que na hora pensei ser um “Nigeriano”. Bati na casa e uma senhora me atendeu. Conversa vai e conversa vem, ela deixou eu entrar e ver o carro, que não era um “Nigéria”, mas sim um Passat Special 86 muito surrado e literalmente jogado num barranco. O carro me custaria R$3000,00 em 2x sem juros.
Special desmontado… Trabalho a pleno vapor!

Pois bem, comprei o carro e fiz uma revisão rápida. Comecei a usá-lo de vez em quando, praticamente no mesmo estado e cheio de problemas, incluindo um pequeno arbusto que tinha nascido no assoalho atrás do banco do carona que se eu tirasse abriria um buraco no fundo do carro. No final de 2006 voltei para o Rio de Janeiro e o Passat veio comigo dentro de um caminhão. O carro foi direto para restauração da lataria e mecânica em uma oficina em Petrópolis. Ficou lá por aproximadamente por 6 meses e saiu quase perfeito, pois ainda tinha que ser feito todo o interior, além da parte elétrica, suspensão e freios.

Problemas de corrosão e serviços anteriores mal feitos, que foram sanados com um minucioso trabalho de restauração da lataria.

Em meados de 2007 o Passat já estava totalmente concluido e sem problemas, então resolvi fazer algumas alterações de mecânica e a caixa de marcha de 4 marchas foi substituída por uma de 5, com uma relação mais curta em baixas velocidades e longa com rotações mais elevadas. A mecânica ficou pouco mais esperta com a troca do carburador Weber 450 por um Brosol 3E, ganhou velas mais frias, cabos de vela de silicone de 10mm, polia regulável, comando de válvulas para Santana 2.0, coletor de escape dimensionado 4×1 básico com alargador para 2”. Todo o sistema de freios foi substituído pelo do Santana, com discos ventilados.

Subindo a serra de Petrópolis, em junho de 2011.
Ultimamente o carro não passou por mais nenhuma manutenção específica ou alteração, tendo sido realizadas apenas as trocas normais indicada pela Volks.”
É ou não é especial?