Quem não tem cão…

tampasw01Não é segredo e nem mistério pra nenhum admirador de Passat, que a VW preferiu produzir a Variant II por aqui (que nos deixou as suas rodas 14″ como legado, dirão alguns) no lugar de produzir a Passat Variant, que provavelmente seria uma concorrente mais forte frente a Belina, principalmente. Então, na falta de uma legítima Passat Variant comercializada no Brasil, algumas empresas se encarregaram de transformar o Passat nacional em uma perua, para quem fizesse questão disso e tivesse dinheiro pra bancar uma transformação deste porte. As transformações realizadas pela Dacon e pela Sorana foram as mais famosas, porém o número de unidades transformadas é desconhecido e certamente bem reduzido.

tampasw03Um jeito mais simples, rápido e barato de ter a sua própria Passat Variant no Brasil também foi comecializado pela Dacon. No lugar de cortar toda a parte traseira de um Passat, o que envolveria também a pintura completa do carro, bastava usar um Passat 3 portas e trocar sua tampa traseira por outra, devidamente confeccionada para dar um espaço maior no compartimento de bagagem e uma aparência que lembrava a de uma perua, já devidamente pintada na mesma cor do carro. A troca da peça era simples e levava pouco tempo. O custo era obviamente bem menor, porém o resultado estético era um tanto controverso. Talvez por esse motivo, o uso desta tampa também não obteve sucesso e atualmente é uma solução menos conhecida do que as transformações citadas no início deste post.

tampasw02Uma destas raras sobreviventes ilustra este post e foi flagrada na cidade de Itatiba – SP, pelo Rafael Finardi, dono do Impala 1960 mais bonito que eu já vi. Segundo o Rafael, o carro pertence a um pedreiro e como podemos notar provavelmente é utilizado no trabalho, o que não deixa de ser interessante pois é um carro que continua contando sua história até hoje pelas ruas. Feio? Bonito? Alguém faria atualmente isso em um Passat? Tanto faz… O mais importante é ter o registro de um quase extinto acessório.

Dacon no Jornal do Carro

No último domingo, dia 21 de abril, tivemos mais uma prova de reconhecimento sobre importância da história do Passat. O Jornal do Carro publicou uma matéria com o Passat TS 1977 do Marcelo Castanheira, que está fielmente configurado como um dos modelos que a Dacon preparava e vendia, muitas vezes ainda a partir de carros 0km.

Créditos: Jornal do Carro
Créditos: Jornal do Carro/Estadão

As rodas Porsche, volante Motolita, faróis de neblina, som Pioneer KP-500… Todos estes detalhes que fizeram história nos Passat Dacon estão lá. Um exemplar fantástico e que conta um pedaço importante da história do Passat no Brasil.

Créditos: Jornal do Carro
Créditos: Jornal do Carro/Estadão

Parabéns ao Marcelo!

Fotos de época: Dacon 180D 1981

E vejam mais um belíssimo registro que o Marcelo Nadólskis, autoridade absoluta em Passat (e em Dacon), nos traz!

Um Passat Dacon 180D, modelo 1981, com diversas características que o tornam ainda mais exclusivo do que um 180D “convencional”. Pra começar, a cor Salmon oferecida pela Dacon. A empresa disponibilizava aos clientes uma série de cores diferentes das oferecidas pela VW, que eram inspiradas na palheta de cores da Porsche, o que é o caso da Salmon usada neste exemplar. Os espelhos retrovisores eram do Porsche 914, as rodas de aro 15″ eram equipadas com pneus Maggion e as polainas inspiraram a Norfol. Notaram que elas e a lâmina dos pára-choques também eram pintados na cor da carroceria? Os frisos eram pretos, uma característica comum aos Dacon, e nas colunas C, o emblema 180D. Pra finalizar a parte externa, a frente de 4 faróis redondos. É interessante perceber no fundo da primeira foto a presença de um Mercedes-Benz.

No interior, além das modificações nos bancos e forrações de porta tradicionais Dacon (reparem também nas bolsas laterais), este 180D era equipado com console Zune e volante de Porsche 914. O toca-fitas era um Marantz Car 427. Pelo conjunto da obra, este talvez seja o Passat Dacon mais bonito que já tive a oportunidade de ver e embelezava as ruas de São Paulo nos anos 80.

Este Passat era de propriedade do Sérgio Ruas Camilo, tio do piloto da Stock Thiago Camilo, que comprou um TS 1981 álcool 0km para fazer a transformação. O paradeiro atual deste exemplar infelizmente é ignorado, mas para a alegria dos passateiros de plantão um Dacon 180D será restaurado inspirado neste exemplar.

O Dacon do Renato Gaúcho

Ok, o post futebolístico desta quarta-feira nada tem a ver com o Fluminense… Mas o Renato Gaúcho, personagem central da história de hoje, além de ter surgido para o Brasil (e para o mundo) no Grêmio, sendo um ídolo do clube de Porto Alegre, fez história nas Laranjeiras como jogador e também como técnico. Renato também teve passagem por outros clubes brasileiros, como Botafogo, Cruzeiro e Flamengo, além de uma rápida passagem pelo italiano Roma. Terminou sua carreira de jogador no Bangu Atlético Clube, time de poucas glórias, mas que conta com a simpatia dos torcedores cariocas.

O video abaixo, velho conhecido de muitos passateiros, mostra uma discussão entre Renato Gaúcho e torcedores do Grêmio em 1984, após um empate do tricolor gaúcho em 1 x 1 com o São Borja, pelo campeonato estadual. Ao ser chamado de mercenário por parte da torcida, Renato desce do seu Passat Dacon (azul, como deve ser todo carro de jogadores gremistas para cair nas graças da torcida) para tirar satisfação.

Em uma entrevista a ESPN Brasil, o fanfarrão Renato Gaúcho contou que em certo dia de novembro de 1983, às vésperas do Mundial daquele ano, chegou ao treino atrasado e cantando pneu no estacionamento do Olímpico. O presidente Fábio Koff viu a cena e mandou chamá-lo imediatamente. Ao entrar na sala do presidente, Renato ouviu do presidente do clube que era um absurdo um jogador chegar daquela maneira ao clube e por isso seria multado em parte do seu salário. Inconformado, Renato volta a sala do presidente após o treino, dessa vez acompanhado pelo técnico Valdir Espinosa. Propõe ao presidente retirar a multa caso o Grêmio fosse campeão mundial. Proposta aceita. Malandro, Renato então pergunta “Presidente, e se formos campeões com um gol meu, o senhor dobra o meu salário?”. Fábio Koff prontamente aceita. Renato continua: “Presidente, se eu fizer dois gols, o senhor triplica o meu salário?”. “Você é maluco, Renato! Sai daqui!”, foi a resposta ouvida. A história que veio depois é conhecida de todo torcedor do Grêmio e de todos que gostam de futebol.

Ah… O carro da história é um Passat. Possivelmente o mesmo que aparece no video.

Passat Dacon

Fotos do belo exemplar de Passat personalizado pela Dacon, concessionária Volkswagen que fazia personalizações e modelos nacionais modificados nos tempos de fronteiras fechadas aos importados.

As fotos são do Thyago Szoke, tiradas na ocasião da presença do Passat no Sambódromo de São Paulo.

Esse Passat já saiu da Dacon pintado de branco pérola, com console Zune e limpador/ lavador do vigia traseiro.

O carro pertenceu quando novo a Alberto Ceppas, um carro exclusivo e muito bem restaurado pelo seu atual proprietário, que recebeu toda ajuda dos amigos que viveram aquela época. Entre eles, Marcelo Nadólskis e Márcio Valente.

Em breve pretendemos publicar fotos do carro quando novo, aguardem!

Fila de espera…

E vejam que bela foto de época nos traz mais uma vez o Marcelo Nadólskis. Essa fila de Passat estava simplesmente aguardando sua vez para entrar nas dependências da Dacon e sofrer as transformações já conhecidas realizadas pela empresa.

Não podemos esquecer que um Passat Dacon podia custar até o triplo do preço de um Passat original. E ainda assim havia fila…

Dacon 180T 1981

“Era o objeto de desejo de todo moleque que completava 18 anos”. São palavras de Rinaldo Gozzi, que possuia este Dacon 180T no início dos anos 80 e assim realizava um sonho.

Este 180T, ano 1981, era recheado de acessórios de época, como volante Motolita, console Zune com relógios Veglia Borletti e um Roadstar, bancos de couro e vidros elétricos (aqueles cujos motores não eram embutidos na porta).

A foto é de 1982. Agradecemos ao Rinaldo por permitir a publicação do foto em nosso blog!

Nos classificados…

Como seria bom abrir um caderno de classificados do jornal de hoje e ver anúncios como esses, hein? Passat TS, Dacon, LS, Surf… Tempos que não voltam mais, mas que quem vivenciou não esquece.

Retirado dos classificados do Jornal do Brasil do dia 03 de dezembro de 1980.

Produção do Dacon 180D

A contribuição de hoje é algo próximo do extraordinário e vem do Marcelo Nadólski, profundo conhecedor do Passat e da Dacon. A foto abaixo, tirada em 1979, mostra nada menos do que as primeiras unidades do Dacon 180D sendo produzidas na oficina da Rua Helena, em São Paulo.

O Passat Dacpn 180D foi o modelo mais conhecido produzido pela Dacon. Com sua traseira em ângulos retos, tinha estilo moderno para a época e foi muito conhecido por ser carro de jogadores de futebol.

Abaixo, fotos da primeira unidade do 180D finalizada, também cortesia do Marcelo.

Houve um equívoco quando da edição inicial deste post com o modelo 180S. Futuramente abordaremos aqui também este belo (e raríssimo) modelo produzido pela Dacon.