Passat Nigéria hibernando

Passat Nigéria abandonado em um estacionamento do Rio de JaneiroO post de hoje é sobre um modelo que, admito, falta falar um pouco mais aqui na Home-Page do Passat, seja no blog ou site. Há poucos dias o amigo Fábio Bittencourt precisou usar um estacionamento que nunca tinha utilizado no Rio de Janeiro e fez a descoberta. Sob uma grossa camada de poeira, hiberna há anos um autêntico Passat Nigéria, que passamos a chamar desta maneira não-oficial por ter sido produzido com o objetivo de ser exportado para aquele país.

O Passat Nigéria tem características específicas como a cor de interior igual ao dos Passat LSE Iraque, vinho ou cinza, ar-condicionado de série e, diferente da versão produzida para o Iraque, não possuía apoios de cabeça nos bancos traseiros e nem console com instrumentos, além de ter carroceria de duas portas. Por um bom tempo esta versão permaneceu como um mistério, até ser esclarecido há alguns anos. Geralmente o Passat Nigéria era vendido e declarado no manual do proprietário e nota fiscal como “Passat Plus” (sabemos, porem, que o verdadeiro Plus era o 84, com motor 1.8 e detalhes exclusivos de acabamento) ou “Passat Especial” (e não Special, como a versão básica). No lado direito da tampa da mala vinha apenas o emblema “Passat”, sem qualquer outra denominação ou sigla.

Passat Nigéria abandonado em um estacionamento do Rio de JaneiroVoltando ao carro das fotos, o que foi apurado no próprio estacionamento é que o carro pertence a uma senhora, que há muitos anos paga religiosamente a mensalidade do estacionamento e não tem a menor intenção de vender o carro, pois teria pertencido ao seu pai. O Passat aparenta ainda estar bem alinhado e conservado, além de ter boa parte de suas características originais, exceto por detalhes, como a roda traseira da linha Gol mais moderna que aparece nas fotos e a inversão de lados dos emblemas traseiros. Não foi possível fotografar com clareza o interior do carro com o celular, mas é vinho e bate com as características dos Passat Nigéria. Numa consulta ao site do Detran-RJ, foi possível confirmar que a última atualização de documento do carro foi realizada em 1996, provavelmente na época da troca das placas amarelas para cinza. Outra curiosidade é que esse carro já era conhecido na região, pois permaneceu por muito tempo estacionado em uma rua sem saída, bem próximo a este estacionamento. Isso faz cerca de 10 anos e depois o carro havia saído de lá e não havia mais notícias. Mesmo parado, pelo menos agora sabemos que o seu destino não foi nenhum pátio da prefeitura e assim este Passat tem alguma chance de um dia ser colocado novamente em circulação.

E como fazemos em posts deste tipo, e até mesmo pela convicção da proprietária em não vender o carro, não vamos divulgar a sua localização. Assim evitamos inconvenientes tanto para a proprietária quanto para a administração do estacionamento.

Até debaixo d’água

A idéia do dia era participar de dois eventos na Barra da Tijuca. Pela manhã, o AGMH promoveria a segunda edição do seu encontro do Bosque Marapendi. E às 14:00, o VW Clube – RJ teria o seu evento mensal, onde o Passat Clube – RJ aproveitaria para relembrar os 25 anos do final da produção do Passat no Brasil. Mas a previsão do tempo não era animadora: 59mm de chuva ao longo do dia, de acordo com o Climatempo. Apesar disso, resolvemos manter a programação.

Ponto de encontro em Niterói, ainda sem chuva.
Ponto de encontro em Niterói, ainda sem chuva.

Pela manhã, a dupla que sairia de Niterói se encontrou no local combinado e de lá saiu para o segundo ponto de encontro, para que os Passat chegassem juntos ao evento. Já no caminho a chuva deu o ar da graça e assim foi até a Barra. Chegamos pontualmente às 9:00 no Bosque Marapendi, encontrando outros poucos guerreiros submarinos com seus carros antigos, além dos antigos dos próprios organizadores. Mesmo sob chuva, quem tem carro antigo, tem bom humor. E por este motivo o bate-papo sempre é imperdível. Porém, com a chuva cada vez mais forte e cerca de 10 carros presentes, acertadamente foi decidido que o evento seria transferido para o próximo domingo (e lá estaremos novamente!).

Estacionamento do shopping Via Parque
Estacionamento do shopping Via Parque

O jeito foi fazer hora e almoçar em algum shopping, aguardando o evento da tarde. E por lá, quatro Passat estacionados lado a lado, algo raro (ou quase impossível) de ver atualmente se não for realmente intencional, como foi o caso. Ainda com esperança de que o tempo melhorasse, no horário marcado partimos para o evento mensal do VW Clube – RJ. Mas hoje São Pedro foi implacável: o Rio de Janeiro precisava de um refresco e ele não se negou a ajudar. Novamente poucos carros se arriscaram a sair em um clima realmente ruim e não muito propício a quem tem carro antigo. Depois de pouco mais de 1 hora de mais um ótimo bate-papo, mais uma vez foi (bem) resolvido que o melhor seria abortar também este evento e seguir pra casa antes que o clima ficasse ainda pior.

Durante o evento mensal do VW Clube - RJ
Durante o evento mensal do VW Clube – RJ
Passat LS 1980, do Fábio Bittencourt, voltando pela Linha Amarela.
Passat LS 1980, do Fábio Bittencourt, voltando pela Linha Amarela.
Passat LS Village 1984, do Roberto Vilela, na Linha Vermelha.
Passat LS Village 1984, do Roberto Vilela, na Linha Vermelha.
Passat LSE 1987, do Michael Sgarbi, também na Linha Vermelha.
Passat LSE 1987, do Michael Sgarbi, também na Linha Vermelha.

Mas o dia não foi perdido, pelo contrário… Uma reunião de amigos é sempre algo em que só saímos ganhando. E semana que vem teremos novamente. Esperamos que com sol e ainda mais Passat!

14º Encontro Anual do VW Clube – RJ

No dia 03 de novembro, o VW Clube – RJ realizou o seu 14º Encontro Anual, no Shopping Station Mall, na Barra da Tijuca. O tempo ajudou e o Rio de Janeiro teve um dia de céu azul, apesar do calor escaldante, o que incentivou todo mundo a botar os velhinhos da rua para participar do evento.

O Passat Clube – RJ esteve presente, como não poderia deixar de ser. Mesmo antes da formação do clube, que se deu em 2005, já participávamos dos eventos mensais e também do anual, quando eram realizados na Tijuca, Zona Norte da cidade. Participamos com 5 carros, sendo 3 deles modelos LSE “Iraque”, além de dois impecáveis modelos LS. O número total de participantes superou as expectativas e a área do evento não chegou a ficar pequena, pois ninguém ficou de fora, mas mostrou a força e a simpatia do VW Clube – RJ em atrair tantos proprietários de carros antigos, mesmo aqueles que não possuem um VW na garagem.

vwclube2014_01 vwclube2014_02vwclube2014_05Além da grande variedade de modelos antigos presentes, algumas cenas curiosas e não muito comuns na cidade chamaram a atenção dos participantes, como a presença de dois jacarés no lago localizado atrás do shopping, onde parte dos carros estava em exposição.

Visão de parte do evento: sucesso de participantes!
Visão de parte do evento: sucesso de participantes!
Bagdá Clube?
Bagdá Clube?
Cenas raras na cidade do Rio de Janeiro...
Cenas raras na cidade do Rio de Janeiro…
Placa de homenagem recebida pela participação do Passat Clube - RJ e prêmio de destaque concedido ao LSE 1987 do sócio Michael Sgarbi.
Placa de homenagem recebida pela participação do Passat Clube – RJ e prêmio de destaque concedido ao LSE 1987 do sócio Michael Sgarbi.
Membros do Passat Clube - RJ marcando presença no evento.
Membros do Passat Clube – RJ marcando presença no evento.

No final do evento, todos os clubes participantes receberam uma placa de homenagem e agradecimento. E entre os destaques do dia, o LSE 1987 do amigo Michael Sgarbi foi um dos premiados! Em breve teremos uma seleção de fotos da área de eventos da Home-Page do Passat. E no próximo evento do VW Clube – RJ, estaremos lá, lembrando os 25 anos do fim da produção do Passat no Brasil.

Surf na rua

O Abel Souza estava caminhando pelas ruas do Rio de Janeiro, quando avistou um Passat bege. Ele não tinha alguns detalhes, faltavam uns frisos, tinha um retrovisor dos modelos 83 em diante do lado direito e o original do lado esquerdo… Mas parecia bem íntegro.

surfrj01 surfrj02Chegando mais perto, ele percebeu os frisos pretos, os pára-choques pretos… Olhou para o interior e confirmou sua suspeita. Estava diante de um Passat Surf! Dei uma conferida pelo site do Detran e o Passat é de 1981. Está com a documentação atualizada, o que é muito bom e demonstra um certo cuidado do proprietário. E o mais interessante é que ele realmente está cadastrado como Passat Surf, o que pelo menos aqui pras bandas fluminenses é bem raro, dado que com o passar dos anos o Detran foi cortando a versão dos documentos mais antigos e muitos são cadastrados apenas como “Passat”.

surfrj03O Passat Surf vendeu relativamente bem na sua época. Era a versão mais barata, sem alguns “luxos” como o relógio no painel. Mas tinha o principal: era um Passat. Hoje, certamente pela descaracterização dos exemplares ao longo dos anos, acaba sendo bem raro de ser encontrado. Talvez ainda existam muitos por aí, que nem os donos saibam que é um Surf pelas mudanças que sofreu. Mas pelo menos esse ainda é perfeitametne identificável. E com pouco trabalho ficaria muito original de novo.

Placa… Preta!

Há poucos dias publicamos o post “Placa Treta“, mostrando a avacalhação que tem acontecido com a legislação sobre a placa preta no Brasil. Desta vez, vamos mostrar o outro lado da moeda. É claro que temos problemas diversos envolvendo uma verdadeira corrida às PP, mas ao mesmo tempo temos (e prefiro acreditar que seja a maioria) uma grande parcela de proprietários de carros antigos que segue à risca tudo o que é necessário pra ser contemplado com este benefício.

Pra ilustrar estes bons exemplos, durante a semana tive uma excelente notícia! O Passat LS 1982 do Henrique Renke recebeu as PP, alguns meses depois de fazer a vistoria para receber o certificado de originalidade. Mais do que merecido. Já tive o prazer de dirigir este LS e é como se fosse um carro 0km. E, na verdade, é quase isso mesmo. Este Passat foi encontrado e comprado por um grande amigo nosso há alguns anos com pouco mais de inacreditáveis 2.000km. Depois de uns 2 anos, foi comprado pelo Henrique. Hoje tem cerca de 11.000km rodados.

O impecável Passat LS 1982 participando de um evento no final do ano passado.
O impecável Passat LS 1982 participando de um evento no final do ano passado, ainda de placas cinzas.

Abaixo, algumas fotos que o Henrique mandou com a nova conquista… Como podemos ver, felizmente ainda temos excelentes exemplos do bom uso das placas pretas.

82pp_01 82pp_02 82pp_03

Escolta de luxo

Longe de ser auto-promoção, mas achei demais essa foto. Talvez porque raramente eu consiga ver alguma foto dos meus carros em movimento (mesmo que seja assim, quase parando pra subir na calçada). Foi o Matheus Marques que fez o registro (e eu nem avisei que ia publicar aqui no blog… belo amigo, sou eu) enquanto eu chegava no encontro da Praça XV, no Rio de Janeiro, neste último domingo. E ainda fiz os últimos metros do trajeto escoltado pelo belíssimo e impecável Dodge Dart De Luxe 1972.

Aliás, a cobertura deste evento já está no site. São pouco mais de 50 fotos pra você conferir.

entrandopracaxv

Um domingo no museu

E acabam de ser publicadas as fotos do evento de novembro no Museu Militar Conde de Linhares, no bairro de São Cristóvão, Rio de Janeiro. O maior encontro mensal da cidade, organizado pelo grupo AGMH, mesmo acontecendo durante um feriadão, ainda atraiu muitos proprietários e admiradores de carros antigos ao local.

Além dos Passat, diversos antigos interessantes estiveram presentes, como um Corcel II GT (de placas pretas) e uma rara Chevrolet Amazonas. Uma equipe da TV Record também compareceu e gravou uma matéria sobre o evento, que você pode assistir aqui.

As fotos podem ser vistas atráves da nossa área de eventos.

 

Passat na rua: Plus

Belo flagra do meu amigo Matheus Marques, do excelente blog Registros Automotivos do Cotidiano, quando ia visitar o encontro de antigos no Forte de Copacabana, no início do mês. Cheguei a ver este carro bem de longe e rapidamente quando passei pela praia indo ao mesmo encontro, mas não consegui reparar nenhum detalhe.

Inicialmente ele me enviou a foto pela curiosidade do colchão no teto. Seria um sistema de amortecimento em caso de capotagem? Um local pra se espreguiçar durante o feriadão de 7 de setembro, já que a praia estava lotada? Mas ampliando a imagem, percebi logo se tratar de um raro Passat Plus 1984, com seu friso vermelho ao redor dos vidros laterais e as faixas pretas no lugar dos borrachões laterais.

Restaurável?