Placa treta: a velha injeção eletrônica de 1981

Placa treta: anúncio do TS 1981Mais um ótimo exemplo do que podemos classificar como “placa treta”. Em um famoso site de vendas, procurando um Passat para um amigo, acabo dando de cara com este anúncio. O título e a foto me chamam a atenção. Afinal, é um belo carro. Abro pra conferir e a admiração vai por água abaixo… Atrás de modificações mecânicas que certamente deixaram o carro muito mais agressivo, como injeção eletrônica e cilindrada aumentada para 1.9 na famosa denominação “APzão turbão treiskilimei” e também com um jogo de rodas Orbital aro 16″ que podem até provocar um leve debate sobre a harmonia com o restante do carro, caio na decepção de ler (e confirmar na foto) que o carro tem placa preta. Ou mais especificamente: placa treta. Segundo o anúncio: “Certificado e documentação toda ok, com potência alterada e suspensão constante no documento e regularizado no Detran – SP“.

Placa treta: TS 81 com as modificações principaisNão vamos cair no velho erro e na velha ingenuidade do “Ah, o dono conseguiu o certificado de originalidade e depois modificou o carro!”. O texto do anúncio está claríssimo: “Nas fotos acima o veículo ainda não estava com a placa preta, mas atualmente está” (certamente um texto antigo, já que há sim uma foto do carro já com a placa preta, mas onde dois números estão cobertos). Melhor sermos realistas: o clube que emitiu a placa preta sabia sim de todas as modificações. Ou se emitiu o certificado sem vistoriar o carro, continuou agindo fora da legalidade.

A FBVA cada vez mais vem se empenhando para resolver junto ao Denatran a questão dos “clubes” (entre aspas mesmo, pois não são clubes, são apenas comércio) que vendem certificados a proprietários de carros não originais. Porém, minha opinião pessoal é a de que apenas uma mudança na legislação, com regras mais claras sobre o índice de originalidade, ou no mínimo a exigência de que todos os clubes credenciados ao Denatran devam seguir as regras propostas pela FBVA para a emissão do certificado (mesmo que não sejam filiados), pode ajudar a termos um norte a seguir nesta questão. E com os critérios definidos, deveria caber aos proprietários que não seguem as regras alguma punição por meio judicial. Infelizmente o brasileiro, que tanto gosta de gritar contra a corrupção (dos outros), só aprende quando a corda arrebenta do seu lado.

Placa treta: TS 1981 exibindo a placa pretaVale também repetir a reflexão que ouvi há poucos dias de um amigo sobre o tema: placa preta não é atestado de beleza. O Passat do anúncio está bonito? Sem dúvida alguma! Está bem preparado? Imagino que sim. Deu trabalho ao proprietário para deixá-lo assim? Com toda certeza. Mas mesmo bonito, bem preparado e dando trabalho pra deixá-lo neste nível, não é esse o objetivo da placa preta e do certificado de originalidade, que só leva esse nome por um motivo óbvio. E não venham tentar convencer alguém de que essa mecânica e as rodas Orbital estavam disponíveis em 1981.

Passat Clube – RJ – 10 anos

Em março de 2005, durante o famoso evento “Praça de Março” promovido pelo Veteran Car Club do Rio de Janeiro, então na Praça XV (atualmente o evento é realizado no Parque do Flamengo), alguns amigos proprietários de Passat se uniram pra criar um clube dos fãs do modelo em terras fluminenses. Estava fundado, de maneira informal como é até hoje, o Passat Clube – RJ, do qual muito me orgulho de ter feito parte deste grupo inicial. O tempo passou e o próprio clube passou por várias fases, algumas mais ativas e outras com pouca atividade, porém nunca deixando de participar de encontros e de certa forma ajudando a criar nos eventos do estado (e alguns fora do RJ também) a consciência de que o Passat tem o seu lugar de destaque na história automobilística nacional ao lado de outros modelos também importantes.

Em 2015 completamos 10 anos de existência. Nossa primeira comemoração foi no próprio evento do Veteran, onde tudo começou. E a segunda comemoração aconteceu neste final de semana, quando juntamos 10 Passat para fazer um passeio pela serra, rodando pelo sempre agradável trecho da BR-040 que separa a entrada principal de Petrópolis até Itaipava. Antes disso, nos reunimos no Palácio Quitandinha, famoso ponto turístico da cidade. Conseguimos alinhar os carros para algumas fotos, o que acabou chamando a atenção de quem visitava o local. Muitos turistas aproveitaram para fotografar também e alguns deles vieram conversar para saber mais sobre os carros.

A idéia é seguir promovendo outros passeios ou confraternizações durante o ano, pra que não faltem comemorações e motivos pra colocarmos os Passat na estrada. Seguem algumas fotos do nosso passeio…

Subindo a serra...
Subindo a serra…

P1200358

Reunidos ao lado do Palácio Quitandinha
Reunidos ao lado do Palácio Quitandinha

P1200611 P1200472 P1200466 P1200453 P1200440 P1200410 P1200404 P1200398 P1200396

Preparativos para o Nacional (3)

edivaldo 01 edivaldo 02Mais um amigo preparando os carros para curtir o V Encontro Nacional do Passat… Dessa vez as fotos são dos exemplares que o Edivaldo, de Belo Horizonte, levará para Caxambu: um TS 1982 e um GTS Pointer 1988. Ambos no conhecido “padrão Edivaldo” de impecabilidade, cujas imagens deste post não me deixam mentir.

Deixamos aqui os desejos de uma ótima viagem para o Edivaldo e sua família! Nos vemos em Caxambu!

Garagem do Bellote: Passat TS

Produção de qualidade do Renato Bellote, como já estamos acostumados a ver. E para uma matéria de qualidade, nada mais indicado do que um Passat TS de qualidade! Estrelando este vídeo, temos o TS 1981 do Renato Gualda, que já passou algumas vezes aqui no blog. Um interessante modelo à álcool que, por conta do combustível, levava o motor 1.5 com o carburador Solex de corpo simples, já que o Solex alemão não havia sido adaptado para usar o combustível vegetal.

Apreciem…

A vencedora!

Chegamos ao final do Concurso Fotográfico da Home-Page do Passat! Entre mais de 100 imagens recebidas e cerca de 70 pré-selecionadas para participar da votação via Facebook, apenas 3 poderiam conquistar o prêmio. A votação dos 6 julgadores e mais o público do Facebook escolheu com justiça os vencedores.

E a foto campeã você pode conferir agora… O Pedro Ruta Jr., de Ponta Grossa-PR, foi um dos contemplados com o livro do Passat! Ambiente, originalidade, iluminação, foco, enquadramento… Fatores que levaram esta foto e as outras duas escolhidas a vencerem este concurso. O segundo lugar ficou com o Irineu Desgualdo Jr. e o terceiro lugar com o Cristiano Oliveira. Estas fotos, assim como outros detalhes do nosso concurso, podem ser conferidas em nosso site.

E parabéns aos vencedores!!!

foto1

Foto antiga: TS 1977 cobre metálico.

Um verdadeiro achado, não só pela versão, mas pela cor. Um Passat TS 1977 na cor cobre metálico, uma cor menos popular na época, mas cobiçada atualmente.

175910120_1491572655_z
Crédito: Wilson Melo

Por onde anda este carro atualmente? Será que está bem preservado?

Encontro mensal do Museu

Prezados amigos que acompanham o nosso blog, antes de mais nada devo desculpas pela ausência de atualizações desde o carnaval. O hiato deste blog vem sendo causado por problemas no meu computador, que ainda não foram solucionados (o componente defeituoso está tão complicado de encontrar que parece até com as minhas buscas por peças de Passat) e por enquanto vem me impedindo de acessar meus arquivos, fotos, o software responsável por atualizar o site, etc. Espero resolver tudo nos próximos dias e retomar as atualizações normais.

Enquanto isso, vida que segue com os nossos Passat e no último domingo foi dia do encontro mensal do Museu Conde de Linhares, no Rio de Janeiro. Foi dia também de finalmente testar (e aprovar) o carburador novo que instalei no meu 4M em um trajeto de aproximadamente 60km.

agmh0213_01Mesmo ocorrendo no final de semana seguinte ao carnaval, quando muitos ainda estavam viajando, o número de carros participantes surpreendeu. O escaldante calor carioca também não pareceu problema para os donos dos clássicos, que levaram os “velhinhos” (os carros, que fique bem explicado) para o passeio dominical. Os Passat compareceram em diferentes versões… Dos familiares LS e LSE, passando pelo 4M até chegar aos esportivos TS e GTS Pointer. O exemplar que chamou a atenção foi um inacreditável LS 1980 Verde Pampa, com pouco menos de 44.000km rodados e extremamente original, ainda com plástico no banco traseiro.

agmh0213_02 agmh0213_03Além dos Passat, ainda tivemos a presença de grandes clássicos como Cadillac e Dodge Kingsway, além de esportivos nacionais como Gol GT e SP-2. Até um impecável Monza Classic SE 1993 esteve presente, mostrando que aos poucos os carros dos anos 90 começam a participar dos eventos de antigos. Aguardem alguns dias, que as fotos serão publicadas em nossa área de eventos!

Encontro casual

Há alguns dias publicamos aqui algumas fotos do evento “Esse vale uma foto”, onde eu tive o prazer de seguir meus amigos Abel e Bruno em seus Passat por um passeio pelo bairro carioca da Ilha do Governador. Mas quais as chances de se encontrar por acaso dois Passat do mesmo ano, cor e estado de conservação juntos, sem que os proprietários tenham combinado?

Pois o Abel foi a um shopping em seu TS e enquanto procurava uma vaga… não é que ele encontrou por lá o LS do Bruno estacionado? O Abel não pensou duas vezes, estacionou ao lado e fotografou o momento. Podem não estar exatamente na rua, mas não deixam de merecer um espaço em nossa série “Passat na rua”.

TSLSshoppingUma imagem assim, não é todo dia que se vê… Esses valem uma foto, não? E por falar nisso, as fotos do evento “Esse vale uma foto” já estão devidamente publicadas em nosso site. São 60 imagens pra vocês apreciarem.

A Ilha dos Antigos

E neste domingo foi realizado o I Encontro de Carros Antigos “Esse vale uma foto”, do blog “Registros Automotivos do Cotidiano” (ou, pra facilitar, RAC). O blog, como já citei aqui várias vezes (e não me canso de divulgar trabalhos que sejam bem feitos), registra carros antigos ou interessantes nas ruas do Brasil (e do mundo). Relativamente recente, foi criado no final de 2010 pelo Matheus Marques, que faz a maior parte destes flagras pelas ruas do Rio de Janeiro, e cresceu depressa, ganhou visitantes assíduos, colaboradores e, tenho certeza, amigos.

Variedade: Toyota Paseo originalíssimo, Kombi "rat" e Ferrari 308 GTS.
Variedade: Toyota Paseo originalíssimo, Kombi “rat” e Ferrari 308 GTS.

E depois de pegar gosto pelos eventos de antigos, lá foi o Matheus botar a mão na massa pra fazer um do seu blog, reunindo também os próprios personagens que já passaram por lá. O cenário pra isso não poderia ser outro, senão o charmoso bairro da Ilha do Governador, palco de grande parte dos registros que passam pelo RAC. O tempo nublado fez pensar que poucos carros apareceriam, mas a área reservada para o evento acabou ficando pequena… E a variedade de modelos impressionou: originais, modificados, os “rat” que a cada dia tem um grupo maior, os nem tão antigos mas ainda assim raros, esportivos, fora-de-série, clássicos, luxuosos, simples… Para cada categoria de carro que se pode pensar, havia algum representante. E mesmo em meio a modelos como Ferrari, Porsche e Lincoln Continental, um “modesto” Logus GLi 1994 roubou a cena de quem aprecia os originais. Sendo um modelo já raro de ser ver pelas ruas, ainda mais em bom estado, este legítimo representante da Autolatina parecia 0km e foi rodeado pelos visitantes do encontro quando chegou.

Logus GLi 1994: simplesmente impecável
Logus GLi 1994: simplesmente impecável

Os Passat foram representados por 5 exemplares, sendo dois LSE “Iraque”, dois exemplares da linha 1980 (LS e TS) e um LS 1981 com acessórios dos anos 80, como as rodas Jolly e teto solar da marca Panther, algo que não se vê todos os dias. O amigo Bruno Lara, proprietário do LS 1980, aproveitou a proximidade de casa e trouxe mais dois VW de sua coleção: uma Brasilia 1977 e um Fusca 1500 1973. Tive o prazer de ser escalado para ajudar nesta missão irrecusável… Na ida, trouxe o 1500 e relembrei a sensação de estar ao volante de um simpático (e impecável) Fusca. Na volta, levei a Brasilia e experimentei o carro que sempre tenho na lembrança quando penso no meu avô, que me levava pra passear na sua quando eu era pequeno.

A partir da foto do alto: Passat LS com acessórios dos anos 80; VW "a ar" que tive o prazer de dirigir; Passat LSE 1987: o escolhido pra me levar ao evento
A partir da foto do alto: Passat LS 1981 com acessórios dos anos 80; VWs “a ar” que tive o prazer de dirigir; Passat LSE 1987: o escolhido pra me levar ao evento

Ao final do evento, uma pequena “passateata” (será incorporado ao Aurélio futuramente, podem me cobrar) para o almoço, passeando pela Ilha e fazendo muitos pescoços virarem. Confesso que chegava a ser engraçado e nem sei quantas pessoas viravam impressionadas pra ver os três Passat. Até mesmo senhoras se viraram e cheguei a ouvir de uma “É desfile?”. Em outra ocasião, com o bom humor característico do carioca, o motorista de uma Kombi de lotação pegou o microfone que usa para anunciar o seu trajeto aos possíveis passageiros e perguntou em alto e bom som “É uma convenção de Passat?”. Bom saber que, de certa forma, vamos preservando a história…

rac_passat
Passeio pela Ilha do Governador, seguindo os dois 1980 Marrom Avelã.

Por enquanto, aproveitem estas fotos. A cobertura com todas as fotos será publicada em breve, na área de eventos do site! E deixo aqui registrado meus parabéns ao Matheus e a todos que ajudaram na organização deste I Encontro de Carros Antigos “Esse vale uma foto”. Que venham outros, estaremos presentes!

Foto antiga: Passat na estrada

Janeiro, mês de férias (para alguns felizardos), de descanso, de viagens… Antigamente era fácil ver um Passat na estrada. A família toda no carro, tanque cheio, porta-malas carregado e vamos lá… Eu mesmo já tive o prazer de, com pouco menos de 10 anos, fazer com a minha família uma viagem entre Niterói – RJ e Gramado – RS, a bordo do saudoso LS 1980 Verde Pampa que meu pai teve nos anos 80. Com direito a parar em várias cidades pelo caminho e a fazer um desvio até Foz do Iguaçu. Foram vários dias na estrada, planejados sob medida pra não cansar ninguém em um trajeto tão grande.

Uma pena que naquela época dos filmes fotográficos de 12, 24 ou 36 poses (se encaixasse direitinho dava pra tirar 1 ou 2 fotos a mais), não era tão comum fotografarmos os carros. Talvez por isso eu goste tanto de fotografá-los hoje, quando viajo com os “velhinhos”. Sobre o LS 80, um dia eu encontro alguma foto dele (onde certamente aparecerá ao fundo, como coadjuvante) e publico aqui.

Mas agora vamos a outra foto, já conhecida de muitos, mas que eu creio que ainda não tenha sido publicada por aqui. Fazendo pose no meio de alguma viagem, um belo TS branco na estrada. Não me recordo de onde veio a foto, portanto se alguém souber, editarei o post e colocarei os devidos créditos. Da mesma forma, não tenho nenhuma informação sobre o local onde a foto foi tirada. Alguém arrisca um palpite?

tsfotoantiga

Simpatia de ano novo

Começo de um novo ano e lá vem as simpatias. É um tal de pular 7 ondas (para os privilegiados que estão à beira mar na virada do ano), comer nhoque, romã e outras iguarias típicas dessa época.

A simpatia mais comum é vestir-se com determinada cor de roupa. E nós aqui do blog quase passamos em branco neste dia 01-01-2013. Mas para celebrar o novo ano, nada como um Passat vestido de branco, porém faixa preta.

74923_388698834548775_1632470287_n
Foto: Marcelo dos Anjos

O carro, um TS 1976, pertence ao professor Marcelo dos Anjos e sempre é requisitado em fotos, como esta acima, clicada na cidade de Londrina-PR.

Feliz 2013!

Fotos: homenagem ao Passat no RJ

Neste domingo o grupo AGMH, em seu tradicional evento mensal, fez um homenagem aos Passat e Gol. Já em ritmo de festas de final de ano e prejudicado pela ameaça de chuva, que acabou não se concretizando, ainda assim contamos com 10 Passat que participaram sem medo da água que poderia vir.

agmhpassat01Foi uma boa variedade de modelos, cores e estilos, que mostrou que os passateiros fluminenses, apesar da desanimada dos últimos tempos (fazendo aqui uma auto-crítica), continuam com potencial pra fazer mais se quiserem.

Fiquem com algumas fotos, enquanto a cobertura não é publicada em nosso site. Porém, mais curiosidades do dia de hoje ainda podem pintar aqui no blog…

agmhpassat02 agmhpassat03 agmhpassat04 agmhpassat05 agmhpassat06 agmhpassat07 agmhpassat08

Passat do leitor: Euro look em Minas Gerais. #4

Dias atrás, quando trouxemos ao blog fotos deste TS 82 mineiro, Edivaldo seu proprietário prometeu mais surpresas. Até então, não poderíamos imaginar o que viria adiante e ficamos só imaginando.

A pouco tempo surgiu uma foto do teto do TS 82, durante os preparativos para instalação do teto. Pelas fotos, aparentemente era um teto solar de vidro, pois tudo o que aparecia era o gabarito para corte.

Eis que surge o verde mármore com um ragtop, deixando o carro mais especial ainda ao sair do comum.

088 106 025 038Edivaldo, que sempre foi criterioso quanto a originalidade nos seus Passat, desta vez não foi diferente. Digamos que apenas colocou mais tempero na receita e fez um carro que será ícone pelos próximos anos.

Obs: As fotos dos 4 posts foram feitas pelo Edivaldo e pelo Gustavo, seu filho.

Passat do leitor #08

Após um tempo sem novos textos, voltamos com uma edição especial de “Passat do leitor”. Nosso amigo e valente moderador do fórum, Renato Gualda, conta sua história com o raro e original Passat TS 1980/81, cujo motor de 1500 cm³ é abastecido com etanol.

“Vou contar um pouco da história do passat na minha vida.

Sou de São Paulo Capital e tenho um Passat TS 1980, modelo 81, branco, movido a álcool.

Este carro tem um fator interessante e raro, alguns contestaram, outros duvidaram, mas meu carro tem motor 1.5!

Pois é! Sempre ouvi falar, e eu também acreditava, que todos os TS eram 1.6, mas eu estava enganado. Os primeiros TS movidos a álcool tinham motor 1.5!

Há até uma matéria da revista Quatro Rodas, que você encontra aqui mesmo na HP, que me ajuda a confirmar o mito!

Assim foram produzidos poucos e uma dessas raridades me achou!

Em 2006 eu estava com uma idéia fixa na cabeça:

Queria comprar um carro antigo, um carro de curtição, e o Passat era minha primeira opção. Na minha família eu, meu pai e meus tios todos tivemos Passats, então quando decidi ter um carro antigo, tinha de ser um Passat!

Em um dia comum de trabalho, andando pelo Bairro de Higienópolis, aqui mesmo em São Paulo, vi esse carro com placa de venda. Eu trabalho como representante comercial e carrego uma pasta um tanto quanto pesada. Nesse dia corri com mala e tudo atrás dele mas, é claro, não consegui chegar nem perto, porque o danado anda bem!!!  

Passei o resto do dia pensando “putz! perdi o carro! não vou achar mais, alguém vai comprá-lo antes de mim” e coisas assim.

Mas no dia seguinte… surpresa!

Ao parar em um farol com meu carro, eis que ele passa bem na minha frente! Com aquele jeito de “olha eu aqui!”.

Aí não teve jeito, mudei meu caminho e saí seguindo o tiozinho dono do carro! Buzinei, fiz gestos, gritei, até ele entender que eu queria aquele carro pra mim!

Quando o tiozinho parou, quanta felicidade! Fechamos o negócio no mesmo dia!

A princípio meu objetivo com o TS era o de rebaixa-lo, colocar rodas esportivas e um motor mais forte mas… assim que eu peguei o carro e comecei a analisar… ele estava em perfeito estado de conservação, com muitos itens originais, dificil de achar tão inteiro por aí… não teve jeito! Mudei os planos e parti para um projeto de originalidade!

Desde então fiz algumas alterações, fui atrás de itens faltantes, retirei insulfilm, coloquei  rodas originais, retirei as faixas vermelhas típicas do Passat Flash (mas não do TS 1980!) e, é claro, funilaria e pintura nos pontos de ferrugem!

Hoje, passados quase 6 anos da aquisição do TS, depois de muitas viagens e encontros de antigos, os colegas me deram força pra partir para uma placa preta.

No fundo eu tinha medo que não passasse… sei lá! Mas com o apoio da família e dos amigos, principalmente do Edison e do André Grigorevski que me apresentaram ao Irineu do Puma Clube de São Paulo, tomei coragem e fui pra batalha!

E o “garoto passou de ano”! Com toda a honra e toda glória hoje ostenta suas placas pretas!

Acredito que esta é uma grande conquista e um incentivo ainda maior para que eu continue a cuidar do TS e, junto dos amigos amantes do Passat, continue a preservar a história desse carro que além de ser um ícone da indústria automobilística, é antes de tudo um membro da minha família!”

Parabéns ao Renato pela história com esse carro e pela recente obtenção de Placa Preta, fruto de muita dedicação e empenho para conservar o carro como nos primeiros dias dele nas ruas.