Home / Geral / Impressões ao dirigir: Passat TS 77

Impressões ao dirigir: Passat TS 77

Quantas pessoas já tiveram a chance de dirigir um dos carros que mais admira? Há anos sou fã de carteirinha do Passat TS 77 do meu amigo Edison Viggiani (que estreou suas merecidas placas pretas neste evento), que já foi inclusive tema da nossa seção “Passat do Leitor“, capa de suplemento de automóveis, parte de uma reportagem sobre Passat na TV, entre outros… Ou seja: certamente não sou o único que admira este TS e o cuidado com o qual ele é tratado.

 

O test-drive aconteceu durante o Blue Cloud, em Caxambu, onde tive a oportunidade de dirigí-lo, e errar o caminho (juro que não foi uma tática pra aumentar o tempo do passeio), até o mirante do Cristo, um dos pontos turísticos da cidade. Apesar de ter sido um rápido passeio e por ruas dentro do perímetro urbano, muitas delas esburacadas, que exigiam velocidade baixa, foi uma experiência incrível e, vejam só, a primeira vez que pude experimentar o famoso Solex alemão de corpo duplo.

 

Como em todo Passat bem tratado, o test-drive mostrou um carro macio e gostoso de dirigir. E como convém a um modelo esportivo, não negou força ao subir as íngremes ladeiras que nos levaram ao ponto mais alto de Caxambu. No final, a satisfação de ter dado uma volta em um dos Passat mais belos que conheço e a vontade de repetir a dose com alguns km a mais no velocímetro.

Sobre Grigorevski

Fundador da Home-Page do Passat e presidente do Passat Clube - RJ.

Confira também

La Passat Automatique - O Passat com câmbio automático

Passat automático 1974

O assunto de deste post desperta a curiosidade de parte dos admiradores brasileiros do Passat ...

15 comentários

  1. Ôrra! Não dirigí o carro do Edison. Mas andei de carona e gostei. Na verdade, me deu vontade de tirar o Solex alemão dele pra dar um mega tapa criterioso. Quem sabe assim pago a velha dívida que tenho com meu velho e bom TS, que tirei o Solex alemão pra botar um menos manhoso Wecarbrás.

    Mas dirigi o raríssimo TS branco 1.500 à álcool do Renato. He he he… Apagou a má impressão que sempre tive dos miliquinhentinhos. Torcudo, esse motorzinho.

  2. O carro do Viggiani foi outro dos que ficava namorando, quando na busca da compra do meu!

    Na lista dos “4-olhos” tinha também um certo 4M celebridade, que parece ter saído até em filme… Mas aí já é outra história, rsrsrs…

    Show, hein? 🙂

  3. André, você quer a foto que comprove o Test Drive? hahahaha

Deixe uma resposta