Home / Geral / Rodando a América do Sul

Rodando a América do Sul

Muitos dos que apreciaram as fotos do nosso concurso devem ter visto as 3 imagens com um Passat LS branco em paisagens atípicas para os padrões brasileiros e se perguntaram onde elas foram tiradas. O LS 79 pertence ao Cristiano Oliveira, de São Paulo. Uma das suas fotos conquistou o terceiro lugar do concurso e levou um dos prêmios. Outra foto ainda beliscou o quarto lugar…

Com este Passat, o Cristiano já foi uma vez até o deserto de Atacama e duas vezes ao Ushuaia. Pelo visto, o Passat acabou sendo não apenas um meio de transporte, mas um belo e confiável companheiro de viagem. Segundo ele, já foram mais de 60.000km sem qualquer problema na estrada.

Imagino que não faltem histórias interessantes e já estamos conversando pra publicar no site os registros dessas viagens. Esperamos assim incentivar outros proprietários de Passat a colocarem o carro (devidamente revisado, é claro) na estrada, sem medo de ser feliz.

Cristiano e seu Passat no Paso de Jama, Cordilheira dos Andes.
Cristiano e seu Passat no Paso de Jama, Cordilheira dos Andes.

Pra dar mais um gostinho, a primeira foto deste post foi feita na Cordilheira dos Andes, mais especificamente no Paso de Jama, região que fica na fronteira entre Chile e Argentina. Pra complicar um pouco mais, a altitude era de aproximadamente 4800 metros acima do nível do mar e era um deserto de sal. Já a segunda foto foi tirada na “mão do deserto” do Chile. Dá olhar essas imagens e pensar algo menor do que “sensacional”? Eu, pelo menos, não consegui.

Deu vontade de botar o Passat na estrada agora…

A famosa Mão do Deserto, no Chile.
A Mão do Deserto, no Chile.

Sobre Grigorevski

Fundador da Home-Page do Passat e presidente do Passat Clube - RJ.

Confira também

Car Dealer Simulator

Car Dealer Simulator: Passat no celular

Está aí um tipo de assunto que eu não me recordo de termos publicado alguma ...

12 comentários

  1. Ao olhar a foto do Passat na Cordilheira, no ato veio à mente: “sensacional”! Logo na sequência, veio a afirmação de que realmente “sensacional”. é o mínimo que achar dessas imagens. Além disso, também fiquei com um gostinho de “eu também quero”. Ah, se eu pudesse e meu dinheiro desse…!

    • Hahahaha! Pois é, algumas palavras acabam vindo fácil na cabeça de qualquer pessoa que goste não apenas de Passat, mas de carros antigos em geral.

      Essas fotos do Cristiano fizeram minha idéia de um dia viajar de LSE até o Uruguai ficar do tamanho de um passeio até a padaria da esquina, hahahaha!

    • Realmente é como vcs estão comentando SENSACIONAL e também muito INSPIRADOR….
      Quem sabe o futuro nos guardar um grupo bem organizado para fazer um passeio deste…. e se espelhando na aventura do Cristiano, que por sinal esta de parabéns….

  2. Muito bom!
    Tenho certeza que a imaginação de muitos Passateiros ficou muito aguçada com esse post.
    Eu já fiz a promessa e um dia ainda vou sair aqui de São Lourenço do Sul- RS para ir em uma edição do BGT, não sei quando, mas vou ir!

  3. Sensacional e inspirador!!! Eu também já andava com vontade de por o Passat na estrada. Agora então mais ainda. Parabéns aos Cristiano Oliveira!!! 🙂

  4. To vendo que, depois desse post, vai ter muito Passat caindo na estrada. Vou preparar a câmera. heheheh

  5. Maravilhosa as imagens, imagino que deve ter sido muito difícil escolher algumas destas como a melhor.
    Eu já tive o prazer de ir ao Ushuaia três vezes……só que de avião 🙂 . É uma região privilegiada pela natureza com toda a sua beleza.
    Depois destas imagens, confesso que fiquei com vontade de ir de Passatão pela quarta vez.

  6. E aí, pessoal… Quando marcamos a saída do comboio? Hehehe…

  7. Me veio uma curiosidade? A mecânica e carburação ainda são originais? Não tem problema a gasolina dos países vizinhos?

    • Cristiano Oliveira

      Eduardo, boa noite!
      Só vi hoje este post. Este carro foi para o Ushuaia uma vez aspirado carburado, e a segunda vez foi injetado e turbinado. Em novembro de 2013 ele voltou ao Atacama, desta vez injetado e turbinado, e com a minha mãe de co-piloto. O carro carburado senti a gasolina mais forte, sofreu muito como frio e a altitude, já com a injeção programável, tirou estas “diferenças” de letra, rs.

  8. Cristiano Oliveira

    André, boa noite!
    Acredita que só vi este post hoje, rs.
    Estou na dívida com você sobre estas matérias, assim que voltar de viajem, Ushuaia denovo mas desta vez sem Passat, vou terminar e enviar o material para você.
    Parabéns pelo site, abraço

Deixe uma resposta