Home / Placa Treta / Placa Treta: a arte de vender gato por lebre

Placa Treta: a arte de vender gato por lebre

sport_treta01Caros leitores, eis neste post um dos “melhores” exemplares de Placa Treta que já vi. Um raro Passat Sport 1984, onde a talvez única característica da versão que tenha restado seja o nome no documento, ostentando as placas pretas que atestam o mínimo de 80% de originalidade de um veículo antigo.

As alterações graves para um suposto carro de coleção são notadas até mesmo por quem não está muito familiarizado com o Passat ou com a versão Sport. Ainda assim cito aqui a troca das rodas, estofamento dos bancos, volante, os pára-choques envolventes, a falta do borrachão da tampa do porta-malas, o emblema solitário também na tampa do porta-malas colado em local errado, os frisos cromados dos vidros laterais e as lanternas traseiras usadas a partir de 1985 (além de estarem opacas, em péssimo estado). Isso sem contar o estado geral de conservação do carro, que não está ruim mas de qualquer maneira já não seria digno das placas pretas mesmo se o carro estivesse original. O leitor que olhar as fotos com mais atenção vai encontrar mais itens errados, mas apenas alguns dos citados já excluiriam o carro da placa preta sem nem mesmo realizar a vistoria.

sport_treta02 sport_treta03 sport_treta04O carro em questão estava a venda no evento de Campos do Jordão – SP  e as fotos foram enviadas pelo Lobão. Pesquisando na internet e pela placa dianteira decorativa, foi possível encontrar a loja especializada no comércio de veículos antigos que está anunciando este ex-Sport por módicos R$18.000,00, como pode ser confirmado no link da própria loja. Deixo, caso seja desejado, o espaço aberto aqui para explicações da loja sobre o Passat anunciado, inclusive para dizer qual foi o clube responsável pela suposta vistoria realizada para emissão do Certificado de Originalidade. Mas ao mesmo tempo deixo minha opinião de que é impossível que qualquer comerciante especializado em veículos antigos não tenha a mínima noção da irregularidade do exemplar e queira repassá-lo como sendo um veículo original.

E deixo aqui minha humilde sugestão, aproveitando o ano de eleições na FBVA, que a entidade disponibilize em seu site a opção de pesquisa em um banco de dados onde o visitante possa digitar a placa de um veículo de coleção e saber:

– Se o Certificado de Originalidade do veículo foi emitido através da entidade;

– Em caso positivo, qual foi o clube responsável pela vistoria.

É claro que esse sistema só funcionaria para fiscalizar os laudos emitidos por clubes filiados a própria FBVA, e no caso das placas pretas irregulares emitidas por clubes cadastrados diretamente ao Denatran ou via despachantes isso não seria possível. Mas seria mais um modo de fiscalização de uma lei que vem sendo descumprida descaradamente, seja pra fugir do teste de emissão de poluentes (que não é o caso do exemplar deste post, emplacado em Mogi Mirim) ou como uma tentativa de valorizar o carro em uma possível venda para completos leigos no assunto.

Sobre Grigorevski

Fundador da Home-Page do Passat e presidente do Passat Clube - RJ.

Confira também

Placa Treta Total Flex

A volta do placa treta Total Flex

Há tempos não publicávamos nenhum post sobre um “placa treta”… Mas não era por falta ...

13 comentários

  1. Esse aí tem é 80% de falta de originalidade, chutando por baixo. Só se for.

    Muita treta.

    • Tenho um passat sport ano 83 modelo 84 md 1.6 com muito mais peças originais q este faz 10 anos q tenho ele foi meu primeiro carro estava pensando em vender mas acho q vou ficar com ele .painel inteiro volante original bancos recaro teto solar de fabrica manual do proprietario etc.Essa placa preta esta no carro errado rsrsrs

  2. Absolutamente de acordo, André. Essa situação desvaloriza o próprio instituto da placa preta e todos os nossos esforços para obter e manter corretamente veículos antigos.
    A ideia de constar um pequeno cadastro no site da FBVA é muito boa.

    Abraços.

    Reinaldo
    http://reiv8.blogspot.com

  3. Poxa… tinha que ser justo de uma loja da minha cidade? Muito cara de pau.

  4. Reinaldo Alves de Almeida

    Até o meu 4M que precisa de uma restauração tem mais itens originais que este ai.

  5. Por que será que acho que a FBVA não vai se meter nisso? Se indispor com as pessoas é ruim para os negócios…

    • Ainda tenho fé… Entendo que por trás das vistorias há o dinheiro das taxas que são cobradas pra isso (fontes de renda para os clubes e também para a federação que recebe uma parcela), mas creio que o interesse em fazer uma limpeza nesse tipo de coisa é benéfico pra FBVA mesmo se pensarmos só no lado do dinheiro. Porque enquanto isso acontece, um bom número de colecionadores não se interessa em obter a PP.

      Claro que em casos como esse, se o C.O. não foi emitido pela FBVA, a entidade não vai ter muito o que fazer.

  6. É pura sacanagem. Já vi outros carros com placa preta e com o motor modificado (variant, Brasília, etc. com motor AP). Tinha que caçar a permissão do clube que emitiu.

  7. André, não devemos condenar totalmente os clubes, pode haver má-fé dos donos aí. O cara mantém o carro original até pegar a PP. Depois disso, avacalha o carro.
    Sou do Clube do Voyage, e lá, um cara conseguiu um carro, de ex-funcionário da VW, em perfeito estado, imaculado. Como desde o início o cara manifestou interesse em “estilizar” o carro (traduzindo, “cagar” – desculpe a palavra chula, mas é isso que penso – pegar um carro 100% original, que estava parado a anos pra manolizar com turbo e o … a quatro), perguntei pra ele se não me vendia as rodas de liga, iguais a do meu carro. Qual a resposta? Não, vou guardar pra pegar a PP, depois tiro.

    Por aí se vê como funciona as coisas.

    • Claro, sempre existe essa possibilidade! Mas há casos e casos. E este caso é bem claro, o carro não está em bom estado. Ninguém trocaria as lanternas originais por outras ruins e paralelas com a intenção de personalizar e “melhorar” o carro. Os pára-choques estão ruins, também não é uma alteração recente.

      Mas concordo plenamente que tem gente que pensa isso mesmo: tirar a PP e depois fazer o que quiser. Neste caso o clube também tem que ficar de olho.

  8. Amigos, o projeto da volta da placa amarela para antigos modificados com mais de 30 anos está bem perto da aprovação, acredito que ocorra depois da copa. Ocorreu mais uma aprovação agora em maio. Para acompanhamento:

    http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=361803

    http://antigosdofarol.com/2014/03/25/a-volta-das-placas-amarelas/,

    Acredito que esse problema da placa “Treta” deva diminuir e, pelo que entendi do texto, não será necessário ser filiado a nenhum clube, na placa amarela o caminho será parecido com o de como se legaliza um carro rebaixado ou com aumento de potência hoje, Inmetro, inspeções e tudo mais.

    Estou terminando a restauração do meu LS 80 verde pampa, estou fazendo ele original com acessórios de época, porém nao participo de nenhum clube, e sinceramente nem gostaria… Acredito que ele seria elegível a placa preta, porém algumas vezes tentei contato com clubes da minha região, até com a FBVA e achei o processo complicado e enrolado… fiquei bem desanimado…

    A nova placa amarela, além dessa independência em relação aos clubes, teria todo um apelo pela nostálgica cor e nos livraria das temidas inspeções veículares.

    Vamos colocar esse assunto na roda pessoal, é do interesse de muitos que frequentam esse espaço!!

    Abraços!

    Rodrigo Abreu
    Gravataí-RS

  9. Puts, vi agora no grupo do face e passei aqui pra bizoiá… É muita sacanagem mesmo!!

Deixe uma resposta