Home / Acessórios / Mini progressivo: a salvação dos Passat TS

Mini progressivo: a salvação dos Passat TS

Começo este post com uma frase pra lá de óbvia: o Passat TS foi – e ainda é – o sonho de consumo de muita gente. Na época do seu lançamento, atiçou a curiosidade do motorista que tinha preferência pelos modelos mais velozes. E, de fato, se mostrou uma ótima opção entre os esportivos da categoria. Entre os seus concorrentes diretos da linha 1976, o Corcel GT e o Chevette GP, por mais que possamos entender que o gosto pessoal é um fator importante, o Passat TS levava ampla vantagem, vencendo todos os quesitos de desempenho e apresentando uma excelente estabilidade. Na velocidade máxima, por exemplo, o Passat alcançava 15 km/h a mais que o Chevette, o segundo colocado neste quesito. Mesmo no consumo, o Passat TS ainda vencia o Corcel GT e ficava próximo ao Chevette GP. Os dados usados para estas afirmações vem do teste comparativo da revista Quatro Rodas da época, que futuramente publicaremos em nosso site.

Os esportivos médios de 1976, em comparativo da revista Quatro Rodas.

Mesmo entre os modelos de categorias maiores, o Passat TS não fazia feio. Claro que em uma comparação numérica simples entre o desempenho do Passat e de modelos maiores com motores de 6 ou 8 cilindros, havia uma clara desvantagem para o Passat TS e sua cilindrada que muitas vezes era menor que a metade dos modelos da categoria superior. Porém, mais uma vez a ótima estabilidade do Passat deixava as coisas mais difíceis para os rivais.

Passat TS 1976
Imagem do lançamento do Passat TS. Fonte: Volkswagen do Brasil.

Resumindo as principais diferenças mecânicas entre o Passat TS e as demais versões do Passat da mesma época, estavam o motor 1.6, que chamamos de BS, e o carburador Solex 32/35 TDID de fabricação alemã. Lembrando que os Passat com motor 1.5 utilizavam um carburador também produzido pela Solex, porém de corpo simples. Porém, apesar de proporcionar um melhor desempenho e consumo, foi exatamente o carburador Solex alemão que trouxe alguns desgostos para os proprietários de Passat TS. Marcha lenta irregular, alto consumo, entre outros, eram relatados com o passar do tempo. E nem sempre os mecânicos tinham o conhecimento necessário neste modelo de carburador para solucionar o problema.

O jornalista Bob Sharp, do alto de sua experiência, tem um antigo texto sobre o caso que pode ser acessado clicando aqui, e indica que a bóia era a principal culpada, por conta do encharcamento de combustível que a tornava mais pesada. A solução que ele, proprietário de uma concessionária VW na época, encontrou, foi utilizar a bóia do Solex de corpo simples dos modelos com motor 1.5. Está tudo detalhado no citado texto, que recomendo a leitura. Porém, acredito que nem todos os proprietários tiveram uma assistência do mesmo porte. E a fama de um carburador de difícil manutenção perdura até hoje… Além disso, com o lançamento dos motores movidos a álcool em 1980, a impossibilidade deste combustível pelo Solex de fabricação alemã levou a Volkswagen a estranha solução de utilizar os motores 1.5 nos Passat TS e LSE movidos pelo novo combustível.

Solex 32/35 TDID
O “Solex alemão”, como ficou conhecido, era um dos responsáveis pelo bom desempenho e consumo do Passat TS.

Não estou dizendo, de forma alguma, que o Solex alemão é um carburador ruim. Pelo contrário… Cheguei a comentar aqui neste post sobre as minhas impressões ao dirigir, pela primeira vez, um Passat TS com o carburador original. Funcionamento suave e uma aceleração bem mais rápida do que a das versões 1.5 são duas ótimas características deste carburador. E a mesma impressão foi mantida em ocasiões posteriores onde tive a oportunidade de dirigir outros Passat com a mesma configuração mecânica. Porém, principalmente para carros de uso diário que, com frequência maior de utilização, também exigiam manutenção mais constante, e que mesmo naquela época já havia alguma dificuldade para encontrar as peças de reposição, não deixava de ser um certo transtorno para o proprietário.

A “salvação” dos proprietários veio apenas em 1982, com o lançamento do carburador Weber 450, conhecido como Mini Progressivo, quando toda a linha Passat foi oferecida com o motor 1.6. Os amigos mais chegados certamente estranharão o termo “salvação” utilizado aqui, pois conhecem os traumas e problemas que passei por usar este carburador durante alguns anos. Mas não posso usar uma experiência pessoal para negar a história e a boa fama do “mini” entre os proprietários e mecânicos, inclusive em competições.

E para salvar, por assim dizer, os proprietários dos Passat TS e LSE mais antigos, a Wecarbrás não perdeu tempo e lançou também um kit para a utilização do seu carburador nos Passat que utilizavam originalmente o modelo de fabricação alemã. Como o coletor de admissão utilizado por ambos os modelos de carburador era o mesmo, a troca era relativamente simples.

Kit de carburação Weber - Mini progressivo
Anúncio do kit de carburação Weber. Fonte: revista Quatro Rodas nº 262

O anúncio acima foi retirado da revista Quatro Rodas número 262, de maio de 1982. Porém, o mesmo anúncio pode ser encontrado em outras edições e também publicações. O kit era constituído, obviamente, do próprio carburador, e um filtro de ar completo com o recorte para o Mini Progressivo, além de uma mangueira de água que suprimia o antigo sistema do afogador automático, um cabo de afogador convencional para ser instalado no painel, além de abraçadeiras, suporte do cabo do acelerador e do calço para o carburador. Já tivemos a oportunidade de ver este kit – sem uso – a venda em sites de classificados. A aparência final do cofre do motor, com o filtro de ar também em metal, não era alterada.

A venda deste kit, na época, deve ter sido expressiva. E acredito que atualmente o número de Passat TS e LSE anteriores a 1982 que usam o Mini Progressivo deve ser maior do que o de exemplares que ainda utilizam a carburação original. A princípio, é de se lamentar… Mas com a maior facilidade de encontrar os kits de reparo e com mecânicos mais acostumados ao Mini Progressivo, até quem gosta de originalidade máxima acaba compreendendo…

Sobre Grigorevski

Fundador da Home-Page do Passat e presidente do Passat Clube - RJ.

Confira também

Consumômetro Wattecnica

Consumômetro Wattecnica

Os computadores de bordo ficaram famosos no Brasil através da Chevrolet, no final dos anos ...

Um comentário

  1. eu tenho um motor mais moderno do gol 96 bola q adaptei no meu passat 76 mas o carburador e este alemao carro ficou muito bom anda muito

Deixe uma resposta